(21) 3305-0166 / (21) 98731-0166   (24) 98805-9303


ESTUDOS: Louvor & Adoração

O PORQUÊ DA ADORAÇÃO

Por Pr. Asaph Borba


Em Mateus 4:10, durante sua tentação, Jesus diz ao diabo – “ao Senhor Teu Deus adorarás e só a Ele darás culto” usando as palavras da Lei em Êxodo 20:4 e 5, quando Deus ordena ao povo de Israel: Só a Ele adoração e o culto.


O constante desígnio de Satanás é roubar aquilo que é devido a Deus – a adoração. Mesmo sabendo que fomos feitos para louvor e glória do Deus vivo, (Ef. 1:12 – a fim de sermos para louvor da sua glória, nós os que de antemão esperamos em Cristo)., o inimigo tem tentado de todas as formas deturpar o culto a Deus, limitando-o em formas e costumes em acordo mais com culturas e padrões humanos do que com o coração de Deus, assim foi com o povo de Israel, depois com a Igreja. Sutilmente a idolatria à imagens e ídolos foi se infiltrando no culto da cristandade e foi assim corrompendo o entendimento dos líderes e crentes em geral. A forma pagã e judaica de templo foi sendo imposta à Igreja fazendo assim que os templos vivos que somos nós os redimidos (I Cor 3:16), lugar da verdadeira adoração fossem reduzidos a simples membros na maioria “leigos“ que por dezenas de séculos de escuridão e inoperância foram dependentes de um sacerdócio externo para cultuar a Deus, de geração em geração, homens, imagens e ídolos de todas as formas se colocaram como intermediários daqueles que podem achegar-se com intrepidez ao Santo dos Santos através do novo e vivo caminho que é Jesus. (Heb.10:19 a 22)
Porém hoje o Pai está restaurando toda a verdade e isto diz respeito também a nossa vida de relacionamento com Ele, e a intermediação tem acabado, pois Cristo Jesus nosso único mediador tem levado a Igreja  a um entendimento  nesta área e por todo o mundo tem surgido um novo culto de verdadeira adoração àquele que é digno, Jesus que disse,  “ninguém vem ao Pai senão por mim”. Jo. 14:6.


Quando portanto Jesus focaliza ao Pai está focalizando também a si mesmo (quem vê a mim vê ao Pai – Jo.14:9) e está focalizando também ao Espírito Santo (Jo.14:26) . A trindade Santa portanto, são o foco da nossa adoração e a Eles nos achegamos com liberdade e amor.  

Já fiz diversas vezes a pergunta porque devemos adorar a Deus?
 Esta pergunta invade o meu coração pelo fato de  entender que Deus é suficiente em Si, não apenas em sua grandeza e majestade, mas em tudo. Apesar de sabermos que Deus se alegra com nossa adoração e obediência e se entristece com o pecado, se ira com a idolatria, seu coração não necessita de nada para que seja completo, não precisa de nossos sacrifícios de louvor e de nossa adoração para ter alegria e sentir-se feliz, não precisa de nossas expressões de amor para sentir-se amado pois Ele é o próprio amor, ( I Jo 4:8). Antes de que cada um de nós existisse-mos  Deus já existia em sua plenitude e era completo, e o Filho e o Espírito Santo participavam desta plenitude eterna. Em Col 1:16, falando ca driação diz que “Nele (em Cristo e junto com Cristo) foram criadas todas  as coisas nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias”. 

Ele é junto com o Pai e o Espírito Santo a fonte e a plenitude de todas as coisas, in clusive de todo louvor , toda a adoração, toda a alegria e júbilo. Por isso Jesus disse que Deus não procura adoração, pois adoração ele tem no céu (Is. 6 1 a 3). Deus procura por seus filhos, seus adoradores.(Jo. 4:23)
O que vem ao meu coração ao meditar sobre isto é que acima de tudo existe algo na adoração que é de vital importância não para Deus, mas para os adoradores, ao ponto de Deus em sua onisciência  e auto suficiência estar procurando por adoradores que o adorem em espírito e em verdade. Adoração (comunhão) é um precioso elo entre a criatura e criador. Tudo está na atitude do adorador, no livre arbítrio que temos para optarmos em sermos ou não adoradores.


Deus nos deixou esta opção. Ele governa todas as coisas e poderia Ter feito de toda a criação seus adoradores assim como são os anjos, mas nos deixou a opção de o sermos ou não. Ao optarmos por Cristo, optamos por Deus.


Esta é a grande brecha da maioria das religiões que querem adorar a Deus, falam até mesmo de vida eterna,  porém  sem o sacrifício de Jesus. O adorador é aquele que faz uma opção por Deus, optando por Jesus e pelo seu reino, opta em Ter comunhão com Deus, comunhão esta que não é imposta por vontade divina mas é uma livre opção de amor. A parte de Deus é completa e perfeita seu amor por nós é inquestionável, porém ele espera por cada um de nós quando através de Cristo por obra do Espírito Santo que enche  nosso coração do Seu amor revelado a nós por pela plenitude de Jesus e depois retorna para Ele. A  verdadeira adoração é uma opção deste abrir-se ao amor divino, feita por cada um de nós, se não fosse assim porque Deus estaria procurando verdadeiros adoradores? Qual é a nossa opção? Deus governa sobre todas as coisas, menos sobre a nossa opção por adorá-lo ou não. Deixa para nós esta única e pequena atitude. Optarmos ou não por amá-lo e adorá-lo. Adoração é algo que satisfaz e alegra a Deus, mas beneficia também ao homem , pois este ao optar por Deus está cumprindo a sua parte neste enlace de amor. Adoração emana do amor.  Deus quer ser amado por nós. O que trás eficácia na adoração é o amor. O que dá conteúdo as nossas expressões de adoração é a nossa vida de amor expresso em aliança e compromisso para com Deus e o seu reino nesta aliança de amor.

 AMAR A DEUS ACIMA DE TUDO


Sl. 18:1 “Eu te amo ó Senhor, força minha”

A maior característica dos adoradores não é a sua forma de cantar e louvar, mas sim o profundo amor que estes tem por Deus. Sempre o que tem me chamado a atenção em homens como Abraão, Davi, os profetas e os discípulos de Jesus, é o profundo amor que tinham por Deus, Davi no Sl 18:1 diz, “ eu te amo oh Senhor” Jesus externou o seu amor incondicional ao Pai, e à sua vontade,sua vida foi em tudo direcionado por este amor, amor que se transformou em uma vida prática de devoção, adoração, submissão e principalmente obediência e sacrifício (Jo.4:34).
Quando falo deste amor falo do amor que Deus coloca no coração de cada um de nós seus filhos através do Espírito Santo que nos leva a uma comunhão que não pode ser quebrada por nada deste mundo. Paulo fala em Rom. 8:35 o que pode nos separar do amor de Cristo? A tribulação ou a angústia, ou a perseguição, ou a  fome ou a nudez, ou o perigo ou a espada? E conclui no verso 38, pois estou certo de que nem a morte nem os principados, nem as potestades, nem o presente nem o porvir, nem altura, nem alguma  outra criatura nos poderá separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus  nosso Senhor.
 Posso pois entender que este amor que o texto fala de um amor sobrenatural que brota da própria presença do Pai em nós que nos faz amar a Deus, acima de todas as coisas. Em Dt. 11:1 Moisés ordenava ao povo “amarás, pois, o Senhor teu Deus”. Agora pela graça nós podemos fazê-lo através do Espírito Santo. Minha pergunta é sempre o que  é amar a Deus, e o quanto eu amo? Passando por esta ou por aquela provação este amor  é verdadeiramente provado, se estar ou não bem financeiramente, interfere neste amor, devemos ver os fundamentos do nosso amor para com  Deus e o seu reino.
Adoração é uma resposta ao amor constante a Deus, como o amor que Abraão tinha, que entregou seu próprio filho, figura do amor que Deus tem por nós que também o fez. E porque Ele nos amou primeiro é que também podemos amá-lo.


Amor expresso em gratidão

Este amor deve ser expresso em nossas vidas primeiramente em gratidão. Um adorador tem um coração grato.  Paulo fala: “Em tudo daí graças, pois esta é a vontade de Deus para convosco”, o salmista falou em entrar por suas portas com “ações de graça” – Esta gratidão que nos leva a dar graças a Deus em qualquer situação é um  sublime incenso de amor que nos leva a reconhecer a soberania de Deus sobre todas as coisas. A linguagem deste mundo é a murmuração, a gratidão é porém, fruto dos lábios e corações daqueles que conhecem a Deus. Nosso louvor tem que ser fruto desta gratidão constante em nosso coração, quando me converti recebi de meu amado pastor um livro cujo título era “Louvor que liberta” cujo enfoque era a gratidão em qualquer situação, pois quando assim agimos estamos reconhecendo a soberania de Deus em qualquer situação e sempre lhe somos gratos.

Amor expresso em obediência.

A obediência é outro fruto deste amor. Um adorador tem prazer em obedecer a vontade do Pai. Jesus assim o fez. Em Jo 4:34 diz que minha comida e minha  bebida é fazer a vontade daquele que me enviou isto é seu prazer maior, acima até mesmo de sua vontade natural era obedecer, a palavra nos diz também que  Ele foi obediente até a morte e morte de cruz. A vida de  adoração de Cristo não foi regada de conceitos que muitas vezes impomos à nossa adoração como música ou palavras, mas sim foi expressa em uma incondicional vida de amor ao Pai expresso em obediência. Em I Sam. 15:22 Tem porventura o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios quanto em que se obedeça à sua palavra? Eis que o obedecer é melhor que o sacrificar, e o atender melhor que a gordura de carneiros. A grande diferença entre o tabernáculo de Moisés e o novo tabernáculo que aqui neste texto Deus começa a mencionar é a obediência requisitada por Ele que lhe agrada bem mais que os antigos sacrifícios. Obediência estas que foi totalmente consumada em Jesus.


Amor expresso em confiança

Estes dois aspectos anteriores só podem ser gerados em nosso coração quando existe fé “Sem fé é impossível agradar a Deus” e adoração é fruto de fé. Sem crermos de uma maneira total em Deus não poderemos adorá-lo, como Ele é digno de ser adorado. O inimigo sempre tenta roubar a fé. Podemos Ter muita gratidão, podemos até Ter muita obediência, porém somente poderemos agradar a Deus e nos achegar confiantemente ao Seu trono de graças, crendo em um Deus que sempre foi, é e será poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos pelo seu poder que opera em nós. Adoramos porque cremos. Crer não é algo automático  em uma vida . Fé uma semente de Deus em nossa vida, a qual o inimigo constantemente  nos tenta roubar, e quando isto acontece vem algo que chamamos de incredulidade, Jesus falou desta semente como um grão de mostarda em nosso coração. Nos disse também que tudo que pedíssemos em seu nome ele o faria colocando sobre nós um fundamento para nossa fé: SUA FIDELIDADE. Somos fiéis por causa de um Deus Fiel.

Asaph Borba

VISÃO GERAL DA ADORAÇÃO NO BRASIL

Por  Pr. Adhemar de Campos

Gostaria de refletir um pouco sobre o momento atual da igreja brasileira. O objetivo é achar um caminho que nos leve a plena sintonia com o coração de Deus e que também, antes de tudo, nos conduza no compromisso e coerência bíblica. Adoração tem sido um tema bastante divulgado e trabalhado nos últimos anos. Porém, pergunto: Será que todos os que tratam sobre esse tema tem o entendimento correto e a prática adequada na aplicação do mesmo? O "boom" de adoração atual de fato tem contribuído com os propósitos de Deus para a igreja? É correto a criação de tantas escolas, cursos e seminários de adoração? A igreja como um todo está entendendo e respondendo ao mover de adoração? Os líderes estão de acordo quanto a visão e prática da adoração? Nossa visão e prática tem fortalecido nosso testemunho perante a sociedade, fazendo aumentar o n° de conversões? Nossa adoração reflete nossa unidade? Estamos abertos ao diálogo, à reflexão e aos ajustes enquanto líderes? Qual dos três é mais importante: a igreja, o culto ou a música? Acredito que obteremos respostas para essas questões na medida em que buscarmos entender adoração do ponto de vista divino. Para isso precisamos conhecer a visão do propósito eterno de Deus e viver em obediência aos seus princípios.

1. A VISÃO DO REINO

João Batista, o precursor de Jesus, apareceu no deserto da Judéia pregando o arrependimento e anunciando o reino dos céus - Mt 3:1 Jesus, iniciou seu ministério público na Galiléia pregando o evangelho de Deus, anunciando o reino de Deus e chamando todos ao arrependimento - Mc 1:15 Pedro em Jerusalém por ocasião da festa do Pentecostes após o Espírito ter sido derramado anunciou o senhorio de Cristo e exortou os judeus a se arrependerem e se converterem - At 2:37-38 Jesus após a ressurreição instruiu seus discípulos a pregarem o arrependimento e a remissão de pecados - Lc 24:47 O que se nota nesses textos é uma perfeita sintonia entre Jesus, João e os discípulos quanto ao evangelho e a visão do reino. Era um projeto perfeito, infalível, poderoso, convincente, indestrutível. Prova disso, é o fato de um número pequeno de homens liderados pelo Senhor, sem grandes recursos revolucionarem o mundo e levarem milhares de pessoas, nas situações mais inusitadas, à conversão a Cristo. A visão do reino estava clara para aqueles homens, a motivação correta era o resultado de um encontro transformador com Jesus.

2. A VISÃO DO CORPO

A igreja é o corpo de Cristo aqui na terra. De acordo com Mt 16:18, um dos objetivos da morte do Senhor na cruz foi resgatar homens e assim edificar a sua igreja que tem como missão, dentre outras, subjugar o inferno em demonstração à multiforme sabedoria de Deus segundo seu eterno propósito - Ef 3:10-11 O Senhor Jesus conferiu a sua igreja poder e autoridade ilimitados para o estabelecimento do seu governo na terra. Por isso Jesus estabeleceu apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres para o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para a edificação do corpo - Ef 4:11-12  A igreja, corpo de Cristo, é um grande projeto para comunicar a vida de Deus e produzir uma influência plenamente saudável na sociedade, como se viu naquela igreja que nasceu em Jerusalém por ocasião do Pentecostes. A mensagem poderosa era o evangelho do reino, a autoridade espiritual inquestionável, a atmosfera... celestial, os milagres incontestáveis, a comunhão dos santos coerente, responsável, altruísta, edificante. Se adotarmos esses princípios e práticas certamente obteremos os mesmos resultados em nossa vida, nosso lar, nossa comunidade, nossa cidade, nosso país - II Crôn 7:14

3. A VISÃO DO MUNDO

Deus teve uma visão clara da necessidade do homem decaído, por causa do efeito do pecado. Essa visão o levou a amar o mundo, a enviar seu Filho unigênito para que todo o que nele cresse não perecesse mas tivesse a vida eterna. Como filhos de Deus, somos levados a amar o mundo, a nos apresentarmos perante o Senhor, sermos enviados por Ele para anunciarmos o evangelho que resgata, regenera e transforma o pecador num filho de Deus que adora o Pai em espírito e em verdade. É impossível ser um adorador e não sentir a miséria desse mundo perdido, não chorar a morte das sete pessoas que por minuto morrem no Brasil sem salvação, não chorar os 40 milhões de desviados das nossas igrejas, e tantos outros tristes dados estatísticos que precisamos considerar séria e urgentemente.

 

4. A VISÃO DO FUTURO

A visão do futuro está condicionada à visão que como igreja temos do presente. É indispensável conhecermos, à luz das Escrituras, qual é a nossa missão.

a)A primeira missão da igreja é adorar - At 2:1-4
b)Em segundo lugar, a missão da igreja é evangelizar - At 2:14; 36-38
c)E a terceira missão é cuidar de pessoas, ensinar e discipular - At 2:42-45

Se todos nós como igreja nos ocuparmos diariamente em cumprir essa tríplice missão, com certeza nossa sociedade será transformada. Se vivermos dessa maneira no presente, estaremos garantindo um futuro abençoado que beneficiará a todos. Queridos pastores, líderes, ministros de louvor e adoradores. Não tenho a pretensão de dar resposta a todas as perguntas que formulei acima. Muitas delas são subjetivas. Porém apelo para que deixemos de lado nossas questões, visões pessoais e ministeriais e unamo-nos em torno do Senhor, da sua visão e dos seus propósitos, olhando para Jesus que deixou-nos o exemplo para que sigamos suas pisadas. Estou certo que essa é a vontade do Pai e que Ele nos salvou para esse fim - Ef 1:12; II Cor 5:14-15; I Cor 10:31

Pr. Adhemar de Campos

www.adhemardecampos.com.br

 

O LOUVOR PROFÉTICO

Por Pr. Bené Gomes            

          Pensando melhor sobre a palavra “PROFÉTICO” vem a pergunta do que significa de fato isto? A resposta é , ao meu ver, tão simples que talvez alguns possam ficar assustados. Profético é exatamente tudo que manifesta a presença de Deus. Pregação profética é quando Deus se manifesta por meio da palavra, e o louvor profético é quando Deus se manifesta por meio do louvor.

 

Louvor é quando abrimos a boca para tecer elogios, para falar bem, para engrandecer, para reconhecer atributos, virtudes e beleza, é exaltar alguém por suas obras, por seus feitos, por sua inteligência, por sua sabedoria, por sua capacidade, e por aí vai. Como você reage a um elogio? Não faz bem prá você? Não te traz uma sensação gostosa de que você está no caminho certo?

Não sei você , mas eu gosto de receber elogios, porque fortalece o meu coração no propósito de Deus e me motiva tremendamente a continuar fazendo sempre o melhor. Imagine que no final de um semestre árduo de faculdade, onde você procurou dar o seu melhor, alguns professores venham até você e te digam: “Você é muito capaz, nós admiramos seu esforço, e torcemos para que continue assim”. Não seria tremendo? Principalmente se v. tiver certeza que eles estão falando a verdade, do fundo do coração.

Quando louvamos a Deus, não é diferente, pois imagine como se sente Ele ao ouvir de seus lábios: “Tu é bom Senhor, e a tua misericórdia não tem fim, a tua fidelidade se estende além dos céus, e eu te amo de coração.”, eu tenho certeza que ele fica muito feliz, e com certeza ele vai fazer de tudo para te agradar. É claro que só a sinceridade não basta, pois temos que ser coerentes, ou seja, o que nós vivemos não pode contradizer o que pregamos e cantamos.

Se eu digo ao Senhor: “Senhor eu te amo, Tu és tudo para mim, és a razão da minha vida.”, e não sou fiel, por exemplo, nos dízimos, ou vivo falando mal do outros, e dando mal testemunho no meu trabalho, desrespeitando meu patrão; seria isto bom? Seria isto coerente? Ou  seria o mesmo que dizer “Senhor, eu te amo, Tu és tudo para mim, mas eu não vou te obedecer., e não vou guardar a sua palavra.”, o que v. pensa desta atitude? Não está errada? É lógico que sim. Mas mesmo assim nunca deixe de elogiar ao Senhor, de reconhecer a sua bondade, pois mesmo que não estejamos 100% alinhados com a sua vontade, quando louvamos a ele, abrimos a porta para que ele opere.

          Agora, um outro conceito muito importante de entendermos é que ninguém elogia de boca fechada, ou ninguém louva calado, ou seja, é preciso abrir a boca para louvar, e a maneira mais sublime de se abrir a boca para elogiar e engrandecer é através da música. Eu poderia ter chegado para o Senhor e falado: “Quão formoso és, rei do universo, a tua glória enche a terra, enche os céus, enche a minha vida, e é maravilhoso estar em tua presença, e poder te adorar, é maravilhoso tocar nas tuas vestes, e te contemplar Senhor”.

Mas quando eu uno estas palavras a uma melodia inspirada e canto para Ele, eu tenho certeza que Ele se derrete todo. Não é atoa que Davi declara no Salmo 22:3 que Ele é entronizado no meio dos louvores do seu povo, ou seja, Ele estabelece o seu reino através dos louvores que a Ele ministramos. E o maravilhoso do louvor é que faz bem para quem está sendo elogiado, e faz bem para quem está dando os elogios também, além do que o nosso vínculo de comunhão e intimidade com Deus cresce cada vez que o louvamos.

O louvor profético abençoa o coração de Deus, o nosso coração, e também o coração de quem está ao nosso lado. Foi assim que aconteceu em Atos 16 quando na prisão  Paulo e Silas oravam e elogiavam a Deus, exaltando-o por seu cuidado e amor, dá prá imaginar as palavras que Paulo e Silas cantavam ali naquele lugar? Com certeza Deus ficou muito sensibilizado, pois apesar de toda adversidade, e circunstâncias difíceis, eles estavam louvando a Deus, e os demais companheiros de prisão  os escutavam. E derrepente, um terremoto, que solta todas as cadeias,  abre todas as portas, e todos se sentem livres. Por que? Porque onde há louvor profético, há a manifestação da presença de Deus, e quando Deus se manifesta, o sobrenatural entra em cena...

 

Que Deus abençoe a todos.

 

Bené Gomes

Ministério Koinonya de Louvor

 


Desenvolvido por On Rio Internet Ltda